• radioastronomia

Radiotelescópio Arecibo foi danificado após queda de cabo


Na madrugada do dia 10 de agosto de 2020, um cabo auxiliar de suporte de uma plataforma, na parte superior do Radiotelescópio Arecibo, se partiu, caindo sobre o disco refletor. O impacto provocou um rasgo de cerca de 10 m na superfície da estrutura metálica refletora, logo abaixo.


O cabo de aço que se desprendeu tinha cerca de 10 cm de diâmetro e também causou danos em alguns dos painéis do domo gregoriano onde ficam os receptores.


De acordo com a página do observatório, ainda não está claro o que causou a quebra do cabo: “Temos uma equipe de especialistas avaliando a situação”, segundo Francisco Cordova, diretor do observatório. “Nosso foco é garantir a segurança de nossa equipe, protegendo as instalações e equipamentos, e restaurando as instalações para operações completas o mais rápido possível, para que possa continuar a ajudar cientistas em todo o mundo”. Desde o incidente, as observações realizadas por diversos cientistas foram suspensas.


A instalação, que abriga um dos telescópios mais poderosos do planeta, é usada por pesquisadores de todo o mundo em pesquisas, por exemplo, em ciências atmosféricas, ciências planetárias, radioastronomia e astronomia de radar.


Historicamente, Arecibo já sofreu danos provocados por furacões, tempestades tropicais e terremotos. Um dos mais recentes danos foi causado pelo furacão Maria, em 2017, e os reparos ainda estavam em andamento. Mesmo assim, as pesquisas continuaram, após as condições mínimas de operação serem restabelecidas.


O radiotelescópio Arecibo, com seus 300 m de diâmetro, já foi o maior do mundo (suplantado pelo FAST, DE 500 m), é usado na pesquisa radioastronômica desde 1963. Também faz parte da cultura popular, aparecendo como cenário de filmes de 007 e Contato, por exemplo.


Sua enorme superfície refletora o torna um dos mais sensíveis receptores de rádio para as faixas de frequência em que opera. Além disso, Arecibo possui potentes transmissores de rádio em micro-ondas que permitem realizar pesquisas radioastronômicas com técnicas de radar.


Algumas áreas de pesquisa em que o Arecibo é utilizado:

Pesquisas ionosféricas;

Estudo de pulsares (estrelas de nêutrons);

Exoplanetas;

Ondas gravitacionais;

Fast Radio Bursts (FRB);

Uso em VLBI com outros observatórios;

SETI, busca de sinais de rádio de outras civilizações (no passado com Frank Drake e Carl Sagan);

Envio de sinais de rádio para outras estrelas;

Estudo de objetos no Sistema Solar (Sol, planetas, asteroides).


Crédito da imagem: University of Central Florida (UCF Today).

Para saber mais: Arecibo Observatory.


#Arecibo #radiotelescópio

5 visualizações

Salvador - Bahia - Brazil

  • Facebook Clean Grey
  • Twitter Clean Grey
  • LinkedIn Clean Grey

© 2016 por Marcelo. Orgulhosamente criado com Wix.com