A história da Radioastronomia é repleta de acontecimentos inusitados. A serendipidade, com a surpresa de uma descoberta inesperada, esteve presente em diversas épocas e fez com que muitos pesquisadores se destacassem e contribuíssem para a história da Ciência. Nesta página, mostraremos uma relação de pesquisadores e suas descobertas.

Antes de tudo, o Eletromagnetismo

Começamos com Maxwell porque foi quem criou o arcabouço teórico que levou aos experimentos de Hertz e aos primeiros dispositivos para comunicação sem fio, via rádio.

James Clerk Maxwell (1831 -1879): ao tratarmos de fenômenos relacionados ao eletromagnetismo na história da ciência, pertence a Maxwell o crédito por unificar os conhecimentos de sua época sobre eletricidade e magnetismo em suas famosas equações. Foi a partir de sua elaboração teórica que os físicos entenderam o fenômeno da eletricidade e do magnetismo que, intrinsecamente, indicavam a existência de ondas eletromagnéticas. Além disso, ele também teorizou que a luz visível é uma manifestação eletromagnética.

1/5

Na cidade de Edimburgo, na Escócia, o visitante pode se deparar com a estátua de Maxwell, ao lado da qual há uma inscrição com as famosas equações. Na fachada da casa onde nasceu Maxwell, encontramos uma placa com os dizeres:

 

"Many of today's major technological advances are due to James Clerk Maxwell who created the first full-colour photographic image and developed the theory of electromagnetic waves which made mobile phones, radio, radar and GPS all possible. He is commemorated by a statue on George Square and a small museum here at his birthplace".

(Devemos muitos dos principais avanços tecnológicos atuais a James Clerk Maxwell, que criou a primeira imagem fotográfica colorida e desenvolveu a teoria das ondas eletromagnéticas que tornaram possíveis os telefones celulares, o rádio, o radar e o GPS. Ele é celebrado com uma estátua na George Square e um pequeno museu aqui em sua cidade natal. Em tradução livre.)

E uma citação de Albert Einstein (Uma época científica terminou e outra começou com Maxwell, em tradução livre):

"One scientific epoch ended and another began with Maxwell"

 

As ondas de rádio

 

Depois de Maxwell, outro grande cientista foi Heinrich Hertz (1857 - 1894). Profundo conhecedor do trabalho de Maxwell, Hertz foi o primeiro a realizar observações científicas das ondas eletromagnéticas. Em seu laboratório, ele construiu dispositivos capazes de gerar e de receber os sinais de rádio. De um lado, um circuito com grandes bobinas capazes de produzir descargas elétricas de alta tensão num circuito sintonizado com capacitores, nos quais os pulsos elétricos produziam ondas eletromagnéticas de frequência conhecida por ele. Para receber os sinais, ele realizou diversos dispositivos, incluindo um constituído por uma espira de fio ligada a duas esferas metálicas muito próximas. Quando o transmissor era ligado, produzindo faíscas de alta tensão e de alta intensidade, o receptor a alguns metros de distância produzia pequenas descargas elétricas que podiam ser vistas no escuro.

No seu livro Electric Waves, Hertz dedicou um capítulo a um fenômeno que ele percebeu durante os experimentos com o eletromagnetismo: a incidência de luz ultravioleta facilitava a produção das descargas elétricas em seus dispositivos . Foi uma descoberta depois relacionada ao Efeito Fotoelétrico que valeu um Prêmio Nobel a Albert Einstein.

Apesar da enorme importância dos experimentos de Hertz para o surgimento das telecomunicações, há relatos de que ele não pensava em aplicações práticas para suas engenhosas montagens.

1/2

Fonte: Heinrich Rudolf Hertz

1890

Thomas Alva Edison (1847 - 1931), célebre por muitas invenções, incluindo a lâmpada elétrica de uso prático e comercial, é citado porque constam registros de que tentou captar sinais de rádio do Sol, em 1890. A informação consta numa carta de Arthur E. Kennelly (1861 - 1939), que trabalhou com ele. Entretanto, já em 1902,  Kennelly e Oliver Heaviside (1850- 1925) concluíram que os receptores da época não tinham sensibilidade para captar tais sinais, além disso, já suspeitavam da existência da Ionosfera, que bloquearia sinais de rádio de baixas frequências (com informações do livro Tools of Radio Astronomy. Springer, Sixth Edition. New York, 2013).

Antes de Karl G. Jansky, no começo dos anos 1930, realizar a primeira observação radioastronômica que é considerada o marco inicial da radioastronomia, alguns outros pesquisadores especulavam sobre sinais de rádio originários do espaço cósmico, além da Terra. O histórico elaborado terá informações pesquisadas em observsatórios radioastronômicos e sites de universidades, além de usar como referência a compilação feita por Sarah Stevens-Rayburn, do National Radio Astronomy Observatory. Primeiro, para o período de 1898 até Jansky, ela destacou:

Wilsing & Scheiner (1896): realizaram tentativas de detectar radiação solar;

Oliver Lodje (1900): Signalling Through Space Without Wires;

Deslandres & Decombe (1902): "On The Search for Hertzian Radiation Emanating From The Sun";

Nordmann (1902): "A Search for Hertzian Waves emanating from the Sun";

Oswald (1930): ""Transoceanic Telephone Service - Short-Wave Equipment: Technical Features Of The New Short-Wave Radio Stations of The Bell System".

<<Em Edição>>

 

No artigo de 2007, HIGHLIGHTING THE HISTORY OF FRENCH RADIO ASTRONOMY. 1: NORDMANN’S ATTEMPT TO OBSERVE SOLAR RADIO EMISSION IN 1901, de Suzanne Débarbat; James Lequeux; Wayne Orchiston, encontramos relatos da pesquisa desenvolvida por Wilsing & Scheiner (1896), Oliver Lodje (1900), Deslandres & Decombe (1902) e Nordmann (1902).

1896

Johannes Wilsing (1856–1943) e Julius Scheiner (1858–1913): dois astrofísicos que tentaram, ainda no final do século 19 captar emissões de rádio do Sol na faixa centimétrica. Usaram um receptor que era constituído por duas superfícies metálicas em contato, cuja resistência varia em função da incidência de sinais de rádio. Para minimizar interferências externas, o detector ficava numa caixa coberta com folha metálica. Eles utilizavam um refletor metálico, para direcionar os raios solares para a caixa. Relataram não ter detectado nenhuma emissão solar para o aparato montado, com a sensibilidade da tecnologia da época.

<<Em Edição>>

1900

Oliver Lodge (1851–1940): também realizava pesquisas na área de emissões de rádio e já ponderava sobre a grande incidência de ruídos na Terra, em cidades como Liverpool e que seria necessário um aparato com muita sensibilidade.

<<Em Edição>>

1902

Charles Nordmann (1881 - 1940) astrônomo francês, com interesse em astronomia solar, que com seu assistente, F. Haberkorn, conduziu uma tentativa de detectar sinais de rádio do Sol, na faixa das ondas hectométricas (300 kHz a 3 MHz, é nesta faixa que funcionam as emissores de Ondas Mádias, 525 kHz a 1705 kHz). Ele realizou a observação numa região montanhosa, pensando em minimizar efeitos de absorção da atmosfera na observação, consideração desnecessária, hoje sabemos. Usou um longa antena, um fio de 174 m de comprimento, suspenso sobre a neve. O receptor não era um circuito sintonizado, e sim um dispositivo chamado "coesor" (coherer): um recipiente isolante contendo um pó metálico, por exemplo, de ferro, cuja resistência à passagem da corrente elétrica subitamente diminuia na presença de um sinal de rádio em seus terminais. Para voltar ao valor da resistência mais alta, algum leve impacto deveria ser aplicado ao dispositivo. Com o coesos ligado à antena, a uma bateria e galvanômetro ele esperava medir variações de corrente provocadas por emissões de rádio do Sol. Mas ele não conseguiu captar nada e concluiu que se o Sol emitir radiação eletromagnética nas faixas de frequência da sua pesquisa, estas devem ser absorvidas pela atmosfera solar e pelas camadas superiores da atmosfera da Terra.

<<Em Edição>>

1902

Henri Deslandres (1853 - 1948), astrônomo francês que, sabendo dos resultados infrutíferos da busca de enissões de rádio do Sol conduzidas por Wilsing e Scheiner em 1896, e por Nordmann e Heberkorn, em 1902, ponderou que as proeminências presentes acima da cromosfera do Sol poderiam emitir ondas de rádio por mecanismos parecidos com os que ocorrem em descargas atmosféricas na Terra. Também associaram erupções solares como possíveis causas de interrupções em comunicações via telégrafo, na época. Eles ponderaram que muitas observações seriam necessárias para a confirmação de que se poderia detectar ondas de rádio do Sol, na superfície da Terra. é digno de nota que no começo da década de 1900, o Sol estava num período de baixa atividade.

<<Em Edição>>

Karl G. Jansky (1931)

Grote Reber (1940)

Arno Penzias & Robert Wilson

Jocelyn Bell

<<Em Edição>>

Salvador - Bahia - Brazil

  • Facebook Clean Grey
  • Twitter Clean Grey
  • LinkedIn Clean Grey

© 2016 por Marcelo. Orgulhosamente criado com Wix.com